Yoga nas ações cotidianas – Kriya yoga2019-06-18T21:22:00-03:00

Kriyā Yoga ou Yoga nas ações cotidianas

O tripé terapêutico da psicologia do yoga

O Bhagavad Gītā , considerado uma das mais reverenciadas obras literárias da Índia, apresenta a importância de termos uma prática pessoal e de recebermos a atenção cuidadosa do professor. Essa direção é sustentada por grandes mestres de Yoga, entre eles, Śrī Krishnamacharya. Essa atenção cuidadosa exige o conhecimento do método e a observação contínua do estágio em que se encontra o praticante. Para que possamos compreender a correta aplicação desse sistema, dois grandes métodos são apresentados no Yogasūtra de Patañjali, a escritura central do Yoga.

O primeiro método, considerado a porta de entrada que nos habilita a desenvolver, mais adiante, o aprofundamento da prática meditativa, é chamado Kriyā Yoga. “Kriyā” significa “ação” e “Yoga” se refere ao método que nos trará a experiência desejada (nesse caso, a pacificação e clareza mental). Se trouxermos o conceito de Kriyā Yoga para os tempos modernos, facilmente encontraremos nele um sistema terapêutico muito valioso e completo.

Composto de três pilares, o primeiro pilar (Tapas) aborda a necessidade de cuidados com relação à rotina, sono, alimentação e demais atividades cotidianas que afetam nossa saúde física e mental. O segundo pilar (Svādhyāya) trata da importância de compreendermos a natureza humana desde seus aspectos mais evidentes (corpo, sentidos e mente) até a dimensão espiritual. Há aqui um processo educativo e investigativo considerado essencial para o amadurecimento humano. O terceiro pilar (Īśvara Praṇidhānā)oferece a percepção de que não basta olharmos a nós mesmos como seres isolados, pois há uma realidade mais abrangente e inclusiva que precisa ser contemplada pelo ser humano. Através desses três pilares, é possível um caminho de inclusão e elevação em todas as dimensões humanas.

Kriyā Yoga é um sistema mais universalmente aceito do que Aṣṭāṅga Yoga, o segundo método (onde aparecem práticas formais como asana, pranayama e meditação). Além disso, é considerado um esforço mais apropriado para a mente moderna. A vida acelerada dos tempos atuais colabora para o desenvolvimento de uma mente fraca e agitada. Quando colocamos os esforços no desenvolvimento de Kriyā Yoga temos como resultado uma mente mais favorável ao autoconhecimento e uma mente mais centrada e menos vulnerável à inconstância dos eventos externos.

A aplicação de qualquer método de yoga deve se adaptar ao estágio de cada pessoa. Essa adaptação é desenvolvida, gradualmente, durante os atendimentos individuais.

Saiba mais sobre esses três pilares:

O Bhagavad Gītā , considerado uma das mais reverenciadas obras literárias da Índia, apresenta a importância de termos uma prática pessoal e de recebermos a atenção cuidadosa do professor. Essa direção é sustentada por grandes mestres de Yoga, entre eles, Śrī Krishnamacharya. Essa atenção cuidadosa exige o conhecimento do método e a observação contínua do estágio em que se encontra o praticante. Para que possamos compreender a correta aplicação desse sistema, dois grandes métodos são apresentados no Yogasūtra de Patañjali, a escritura central do Yoga.

O primeiro método, considerado a porta de entrada que nos habilita a desenvolver, mais adiante, o aprofundamento da prática meditativa, é chamado Kriyā Yoga. “Kriyā” significa “ação” e “Yoga” se refere ao método que nos trará a experiência desejada (nesse caso, a pacificação e clareza mental). Se trouxermos o conceito de Kriyā Yoga para os tempos modernos, facilmente encontraremos nele um sistema terapêutico muito valioso e completo.

Composto de três pilares, o primeiro pilar (Tapas) aborda a necessidade de cuidados com relação à rotina, sono, alimentação e demais atividades cotidianas que afetam nossa saúde física e mental. O segundo pilar (Svādhyāya) trata da importância de compreendermos a natureza humana desde seus aspectos mais evidentes (corpo, sentidos e mente) até a dimensão espiritual. Há aqui um processo educativo e investigativo considerado essencial para o amadurecimento humano. O terceiro pilar (Īśvara Praṇidhānā)oferece a percepção de que não basta olharmos a nós mesmos como seres isolados, pois há uma realidade mais abrangente e inclusiva que precisa ser contemplada pelo ser humano. Através desses três pilares, é possível um caminho de inclusão e elevação em todas as dimensões humanas.

Kriyā Yoga é um sistema mais universalmente aceito do que Aṣṭāṅga Yoga, o segundo método (onde aparecem práticas formais como asana, pranayama e meditação). Além disso, é considerado um esforço mais apropriado para a mente moderna. A vida acelerada dos tempos atuais colabora para o desenvolvimento de uma mente fraca e agitada. Quando colocamos os esforços no desenvolvimento de Kriyā Yoga temos como resultado uma mente mais favorável ao autoconhecimento e uma mente mais centrada e menos vulnerável à inconstância dos eventos externos.

A aplicação de qualquer método de yoga deve se adaptar ao estágio de cada pessoa. Essa adaptação é desenvolvida, gradualmente, durante os atendimentos individuais.

Saiba mais sobre esses três pilares:

Tapas – cuidados gerais com o corpo e com a mente
svādhyāya – estudos sobre si
Īśvara Praṇidhānā – reconhecimento do que está além de si